Carregando...

Especialista alerta sobre cuidados com a pele no verão

O verão chegou e com ele os cuidados com a pele. Segundo o Instituto Nacional de Câncer (INCA), o câncer de pele corresponde por 33% de todos os diagnósticos de câncer no país. Só em 2020 foram registrados 8,4 mil novos casos de melanoma no Brasil e aproximadamente 2 mil mortes relacionadas à doença.

Para prevenir do câncer de pele e lesões provocadas pelos raios UV, o dermatologista e parceiro da FME,  Paulo Roberto Lima Machado reuniu as principais dúvidas sobre o tema. Confira.

QUAIS OS CUIDADOS DIÁRIOS QUE DEVEMOS TER PARA PROTEGER A PELE DO SOL?

Evitar exposição direta e prolongada ao sol entre 10 e 16 horas; uso de roupas protetoras e de filtro solar diariamente principalmente para quem se expõe frequentemente devido a questões profissionais, esportivas ou recreativas. Além disso, todas as pessoas com pele muito clara, histórico pessoal ou familiar de câncer cutâneo devem redobrar os cuidados.

COMO CONCILIAR A PROTEÇÃO SOLAR CONTRA O CÂNCER DE PELE E A NECESSIDADE DE EXPOSIÇÃO AO SOL PARA PRODUZIR VITAMINA D?

Como tudo na vida, equilíbrio e bom senso são fundamentais. Calcula-se que cerca de 15 minutos de exposição solar no tronco e membros, 3 vezes por semana são suficientes para a produção de níveis satisfatórios de vitamina D, no horário onde justamente a radiação UV pode ser mais danosa (entre 10-16h). Portanto, nesse momento, as áreas mais sensíveis e expostas como rosto, mãos e antebraços devem estar protegidas. Além disso, para os que possuem pele muito clara e histórico de câncer cutâneo e devem ter um cuidado maior, os níveis de vitamina D devem ser verificados regularmente e suplementação oral indicada se necessário.

QUAIS OS CUIDADOS QUE DEVEMOS TER NA PRAIA OU PISCINA?

Aplicar o protetor solar se possível 30 minutos antes da exposição solar, reaplicar no momento da exposição e no máximo a cada duas horas. O ideal é reaplicar o protetor sempre após o contato com a água ou atividade física que leve a sudorese. Em adição ao uso do protetor, outras medidas são importantes, como uso de roupas, chapéu e ficar mais na sombra, lembrando que mesmo na sombra a radiação UV nos atinge pelo reflexo da água ou areia.

QUAIS OS DANOS CAUSADOS PELA EXPOSIÇÃO EXCESSIVA AO SOL?

Envelhecimento cutâneo acelerado, com o aumento de rugas e de manchas nas áreas expostas, além de maior fragilidade e perda da elasticidade da pele. Adicionalmente, e ainda mais importante, o aparecimento de lesões pré-malignas e de câncer de pele.

O CÂNCER DE PELE É FREQUENTE?

O Instituto Nacional do Câncer (INCA) registra, a cada ano, cerca de 600 mil novos casos no Brasil e o câncer da pele responde por 33% de todos os tipos de câncer. Ou seja, a cada ano temos mais de 180 mil casos novos de câncer de pele causados pelo sol.

EXISTE CÂNCER DE PELE QUE NÃO SEJA CAUSADO PELO SOL?

Sim, mas são raros.

QUAIS OS TIPOS DE CÂNCER DE PELE?

Os principais são o carcinoma basocelular, o carcinoma espinocelular e o melanoma, sendo o basocelular o mais comum correspondendo a cerca de 70% dos cânceres cutâneos. Além de mais comum o basocelular é o menos agressivo, mas deve ser sempre tratado.

– QUAIS OS SINAIS E/OU SINTOMAS QUE MERECEM ATENÇÃO E INDICAM POSSÍVEL PROBLEMA DE PELE CAUSADO PELA EXPOSIÇÃO AO SOL?

Vermelhidão e/ou ardor nas áreas expostas; aparecimento de “sinais” ou lesões na pele que crescem rapidamente, de aspecto irregular, e/ou com sangramento espontâneo. Nesse caso, procurar um dermatologista é importante para avaliação e exame detalhado.

–  QUAL A IMPORTÂNCIA DO PROTETOR SOLAR PARA A PELE E QUAL O FATOR DE PROTEÇÃO QUE REALMENTE PROTEGE CONTRA A RADIAÇÃO SOLAR?

O uso regular e correto pode diminuir muito a chance de aparecimento de lesões pré-malignas e malignas, além de diminuir os sinais de envelhecimento da pele. O fator igual ou acima de 30 é o mais indicado, lembrando que este fator de proteção se refere à radiação do tipo UVB.  É também importante verificar e utilizar protetor solar que também possua filtro para radiação do tipo UVA. Além disso o uso de roupas e chapéus também podem contribuir para a proteção.

– O USO DE BRONZEADORES OU AUTOBRONZEAMENTO É INDICADO?

Não, pois é um fator de risco para câncer de pele devido à exposição adicional à radiação UV. Pode predispor ao câncer da pele e também ao envelhecimento cutâneo precoce.

 

Fonte: Dr. Paulo Roberto Machado, Dermatologista e pesquisador parceiro da FME.

Enviado com sucesso!

Seus dados foram enviados com sucesso!